quando inicio o elixir no terminal ele me retorna este erro como posso resolver?

elixir -v
{"init terminating in do_boot",{‘cannot get bootfile’,’C:Program Fileserl10.3/bin/start.boot’}}
init terminating in do_boot ({cannot get bootfile,C:Program Fileserl10.3/bin/start.boot})

sql – Alguien que me pueda resolver con una consulta en Sqlserver

Quisiera hacer una consulta de manera que me permita agrupar de 4 en 4
quedando de esta manera en una tabla

1   1   3   NELSON  Propietario
3   1   4   DANILO  Propietario
5   321 3   LEIVI   Propietario
7   321 4   HAROLD  Propietario
2   481 3   LUIS    Suplente
4   481 4   ADA     Suplente
6   161 3   JOSE    Suplente
8   327 4   FELIX   Suplente

Pero para toda la tabla. lo que vendría seria 4 mas Propietario y después 4 mas suplente de manera que salga toda la tabla. Es como agruparlos de 4 en 4

sou inciante em Java. alguem pode me ajudar a resolver meu code?

eu sou iniciante e junto com um curso eu estou fazendo um projeto para dev de jogo em Java. eu tentei reescrever e escrever o código mas nada que eu fiz adiantou. eu estou tentando adicioar os botões do meu teclado para o player, atravez do Keylistener. Porém o Player não se movimenta, embora o console do IDlE me mostre que stá reconhecendo o teclado. se alguem puder me ajudar muito obrigado. 🙂

esse é a minha classe principal (game)

package com.gkstudios.main;

import java.awt.Canvas;
import java.awt.Color;
import java.awt.Dimension;
import java.awt.Graphics;
import java.awt.event.KeyEvent;
import java.awt.event.KeyListener;
import java.awt.image.BufferStrategy;
import java.awt.image.BufferedImage;
import java.util.ArrayList;
import java.util.List;

import javax.swing.JFrame;

import com.gkstudios.entities.Entity;
import com.gkstudios.entities.Player;
import com.gkstudios.graficos.Spritesheet;

public class Game extends Canvas implements Runnable,KeyListener{

private static final long serialVersionUID = 1L;
private final int WIDTH = 160;
private final int HEIGHT = 120; 
private final int SCALE = 3;
private Thread thread; 
private boolean isRunning = true; 

private BufferedImage image; 
public Spritesheet spritesheet; 

public List<Entity> entities; 

public static JFrame frame; 

protected Player player; 
public Game(){
    addKeyListener(this);
    setPreferredSize(new Dimension(WIDTH*SCALE, HEIGHT*SCALE));
    initFrame(); 
    image = new BufferedImage(WIDTH, HEIGHT, BufferedImage.TYPE_INT_RGB); 
    entities = new ArrayList<Entity>();
    spritesheet = new Spritesheet("/spritesheet.png");
    player = new Player(0,0,16,16,spritesheet.getSprite(32, 0, 16,16)); 
    entities.add(player);
    
}

public void initFrame(){
    frame = new JFrame("My Game");
    frame.add(this); 
    frame.setResizable(false);
    frame.pack(); 
    frame.setLocationRelativeTo(null);
    frame.setDefaultCloseOperation(JFrame.EXIT_ON_CLOSE);
    frame.setVisible(true);
}

public synchronized void start(){
    thread = new Thread(this);
    isRunning = true; 
    thread.start();
    
}

public synchronized void stop() {
    try {
        thread.join();
    } catch (InterruptedException e) {
        e.printStackTrace();
    }
    
}

public static void main(String args()) {
    Game game = new Game(); 
    game.start();
    game.stop();
}

public void Tick() {
    for(int i = 0; i < entities.size(); i++){
        Entity e = entities.get(i);
        e.tick();
    }
}

public void Render() {
    BufferStrategy bs = this.getBufferStrategy();
    if(bs == null) {
        this.createBufferStrategy(3);
        return;
    }
    

    Graphics g = image.getGraphics();
    g.setColor(Color.green);
    g.fillRect(0,0, WIDTH, HEIGHT);
    for(int i = 0; i < entities.size(); i++){
        Entity e = entities.get(i);
        e.render(g);

    }
    g = bs.getDrawGraphics(); 
    g.drawImage(image, 0, 0, WIDTH*SCALE, HEIGHT*SCALE, null); 
    bs.show();
     
}

public void run() {
    long LastTime = System.nanoTime();
    double amountOFTicks = 60.0; 
    double ns = 1000000000 / amountOFTicks; 
    double delta = 0; 
    int frames = 0;
    double timer = System.currentTimeMillis();
    while(isRunning){
         long now = System.nanoTime();
         delta+=(now - LastTime)/ ns; 
         LastTime = now; 
         if(delta >= 1) {
             Tick();
             Render();
             frames++;
             delta--; 
         }
        
         if(System.currentTimeMillis() - timer >= 1000) {
            System.out.println("FPS: "+ frames);
            frames = 0;
            timer+=1000; 
            
            
         }
    }
    

}

public void keyPressed(KeyEvent e) {
    if(e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_RIGHT || 
    e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_D) { 
            player.right = true;
    }
    else if (e.getKeyCode( ) == KeyEvent.VK_LEFT || 
            e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_A) {
         player.left = true; 
    }
    if(e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_UP || 
    e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_W) {
          player.up = true; 
          
    }
    else if (e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_DOWN || 
    e.getKeyCode() == KeyEvent.VK_S){  
         player.down = true; 
    }
    
}


public void keyReleased(KeyEvent e) {
    // TODO Auto-generated method stub
    
}


public void keyTyped(KeyEvent e) {
    // TODO Auto-generated method stub
}

}

classe player:

package com.gkstudios.entities;

import java.awt.image.BufferedImage;

public class Player extends Entity {

public boolean right, left, up, down; 
public int speed = 2; 

public Player(int x, int y, int width, int height, BufferedImage sprite) {
    super(x, y, width, height, sprite);
    
}

public void Tick() {
    if(right) 
        x+=2; 
    
    else if (left) 
        x-=2;
    
    if(up) 
        y-=2; 
    
    else if (down) 
        y+=2; 
}

}”’

e classe Entity:
package com.gkstudios.entities;

import java.awt.Graphics;
import java.awt.image.BufferedImage;

public class Entity {

protected int x;
protected int y;
protected int width;
protected int height;

private BufferedImage sprite;

public Entity(int x, int y, int width, int height, BufferedImage sprite) {
this.x = x;
this.y = y;
this.width = width;
this.height = height;
this.sprite = sprite;

}

public void setX(int newX) {
this.x = newX;
}
public void setY(int newY) {
this.y = newY;
}

public int getX() {
return this.x;
}
public int getY() {
return this.y;
}
public int getWidth() {
return this.width;
}
public int getHeight() {
return this.height;
}
public void tick(){

}
public void render(Graphics g) {

g.drawImage(sprite, this.getX(), this.getY(),null);
}

}

Resolver Scripts Oracle SQL – Stack Overflow en español

debo usar esta base de datos

Tengo que resolver estas preguntas

Cree la función FU_PROMEDIO_SALARY que reciba un parámetro para el DEPARTMENT_ID y otro para el mes de contrato (HIRE_DATE). La función debe devolver el mínimo sueldo (SALARY) de los empleados que coincidan con el departamento y mes de contrato. Realice una consulta a la tabla EMPLOYEES donde se muestre el resultado de la función.

Cree el procedimiento SP_REP_EMPLEADO que reciba como parámetro el JOB_ID e imprima en pantalla los empleados que pertenecen a dicho trabajo (JOB_ID). El reporte debe mostrar el nombre completo, salario y comisión (commission_pct * salary), en caso la comisión sea nula mostrar 0. Haga uso de un cursor para recorrer la lista de empleados. Valide el procedimiento mostrando el resultado de su ejecución.

Cree y ejecute el paquete PKG_SUSTI que contenga los siguientes stored procedure:
a. Procedimiento almacenado SP_REG_EMP: Ingresa todos los campos de la tabla EMPLOYEES. Haga uso de la secuencia EMPLOYEES_SEQ para el EMPLOYEE_ID. Si el EMAIL del empleado a ingresar ya existe enviar un mensaje en consola a través de una excepción “NO SE PUEDE DUPLICAR EL EMAIL DEL EMPLEADO”
b. Procedimiento almacenado SP_ELI_EMP: Elimina un empleado a través de la columna EMPLOYEE_ID. Si se requiere eliminar un empleado y este no existe enviar un mensaje en consola a través de una excepción “EL EMPLEADO NO EXISTE O YA FUE ELIMINADO”.
c. Procedimiento almacenado SP_ACT_EMP: Actualiza un empleado a través de la columna EMPLOYEE_ID. Si se requiere actualizar un empleado y si este no existe enviar un mensaje en consola a través de una excepción “EL EMPLEADO NO EXISTE”.

android – No puedo resolver el “Gradle project sync failed” y me da otro error que adjunto

Por una parte me sale el error “Se ha anulado una conexión establecida por el software en su equipo host”, leí que reiniciando android se componía pero me sigue saliendo el error. Por otra parte me sale “Gradle project sync failed”, ya intente varias opciones como ir a “Sync project with gradle files”, también descargue un gradle de internet e intente sincronizarlo desde android pero nada
introducir la descripción de la imagen aquí

independente de linguagem – Por que ocorre e como resolver um erro de “out of bounds” ou “out of range” ou algo de tipo?

Antes de mais nada este é um erro de programação. É importante dizer isso porque costuma ser uma exceção em várias linguagens e as pessoas ficam tentadas em capturar a exceção e fazer alguma. Isto é usar exceção para controle de fluxo, é deixar de validar algo que pode ocorrer de errado para só tratar se der o erro, não faça isto, corrija o erro, mesmo que seja fazer a validação e dar o tratamento antes de dar o erro.

Este erro (não vou falar em exceção aqui, porque mesmo que seja lançada uma, ainda é um erro) ocorre apenas em coleções de dados ou objetos compostos que se comportam como coleções (algumas linguagens de tipagem dinâmica possuem composições implementadas como uma coleção, por exemplo uma classe ou algo parecido é implementada como um dicionário que é uma coleção). Para acessar um elemento da coleção é preciso dizer qual é o elemento desejado, de alguma forma. Esta forma costuma ser chamada de índice, mas em alguns casos pode ser uma chave, e em inglês podem usar o termo subscript. Este valor que indexa o elemento da coleção tende a ser um número, mas nada impede que seja outros tipos de dados, de fato em dicionários é comum ser strings.

Algumas coleções os valores são sequenciais e formam uma faixa clara de dados, por exemplo começa em 0 e termina 9, possuindo uniformemente 10 elementos em sequência, possuem uma forma de array, mesmo que não seja exatamente um. Em coleções mais livres podem ter índices/chaves (o termo mais usado nesses casos) esparsos, ou seja, os valores não estão de forma sequencial, então se for números pode começar em qualquer número e terminar em qualquer outro e não precisa ter todos os números entre eles. O mesmo vale para strings ou outros dados como chave.

for (var i = 1; i <= lista.Count; i++) //erro aqui
for (var i = 1; i < lista.Count; i++) //certo

Uma string é uma coleção de dados, ela é uma sequência de caracteres geralmente começada no caractere de posição 0 e terminando no tamanho menos um, não tente acessar uma caractere que esteja fora desta faixa. É comum a pessoa tentar acessar sem querer fora desta faixa, talvez porque tentou fazer uma busca que não achou a informação (pode retornar -1).

Se considerar que uma tabela ASCII ou algo parecido é uma coleção, pode ocorrer algo semelhante sem dar erro, só resultado ruim. Outro exemplo.

Como é uma coleção esse valor de índice/chave precisa existir nela, se não existir ocorre o erro descrito na pergunta ou alguma variante dele.

Em coleções normais como arrays o termo faixa ou o uso de limites de início e fim é mais usado porque ele certamente tem todos os números de uma faixa, o que você não pode fazer é acessar um número que esteja fora dessa faixa. Não é obrigatória começar em 0, mas se começar não pode usar um valor que seja negativo. E não pode acessar um valor que seja maior do que a quantidade de elementos. Então se começa com 0 não pode ser nem o número que indica o tamanho, nem um número maior que este. Porque se começa do 0, por exemplo se tiver 10 elementos, vai de 0 até 9, então o 10 já não é válido. Se começar em 1, então o 10 seria válido, mas o 11 não, e neste caso o 0 também seria inválido.

letr = (2, 5, 6, 18, 20, 10, 23, 12, 19, 10);
let s = (1, 5, 7, 13, 18, 21, 10, 25, 32, 17, 3);
let x = (0);
let i;
console.log("i = " + i);
for (i = 0; i <= 9; i++) {
    x(i) = r(i);
    console.log("i = " + i);
}
console.log("i = " + i);
for (i = 0; i <= 10; i++) {
    x(i + 10) = s(i);
    console.log("i = " + i);
}
console.log("i = " + i);

O erro pode indicar um valor fora da faixa para baixo ou para cima, não importa.

O erro ocorre de forma muito comum quando o índice que é usado é obtido usado uma fórmula ou é obtido por um dado externo que aquele algoritmo não tem controle. Ou ocorre quando vai acessar um elemento específico ou então quando faz um laço e este laço ou começa no número errado ou tenta terminar depois que já avaliou todos elementos que tinha que analisar.

É comum ocorrer em funções e métodos que tem um laço internamente, um caso muito comum é a Substring().

Tem uma classe que mostra superficialmente como o erro é gerado.

No caso do laço o ideal é usar uma construção da linguagem, se tiver que varrer toda coleção por controle próprio assim não tem muito como errar (desde que a coleção não seja modificada em sua estrutura e não mude a quantidade de elementos existentes). Pode ser um foreach ou um for abstrato que faça isto. Quando usa um for bruto ou while onde o programador controla onde deve parar é que costuma acontecer o erro. O erro mais comum é a pessoa colocar a comparação verificando o fim se o contador é menor ou igual ao tamanho, mas se começa do zero tem que ser menor que tamanho total da coleção.

foreach (var item in lista) WriteLine(item); //assim não tem como dar esse erro

Há casos que está usando um laço mas não acessando o elemento de forma direta mas sim calculando o número usando o contador do laço como parte da fórmula, este um caso híbrido, o problema pode ser no limite do contador ou pode ser na fórmula. Por exemplo, se você usa uma fórmula que pega sempre o “contador mais um”, obviamente não pode ir até o último valor possível na coleção porque o último possível mais um dá um número fora da faixa, por exemplo se a coleção vai de 0 a 9, o contador deve parar em 8, se for no 9 a fórmula resultará em 10 e dará o erro.

Então a solução para o problema é sempre validar certo quando deve parar, nunca deixar passar do número do elemento que não existe na coleção naquele momento. Nunca pressuponha que sabe quantos elementos tem ali, sempre pegue esse número ou use uma construção que garanta isso.

if (n >= 0 && n < opcoes.size()) return opcoes(n)->reproduz();

No caso do acesso ser feito individualmente por um dado calculado ou obtido externamente quase sempre é necessário validar o dado variável e que veio sem controle direto do seu algoritmo. Se não passar na validação de estar entre a faixa inicial (geralmente 0) e a final (geralmente o tamanho da coleção menos um), ou ainda se tem aquela chave, então deve fazer alguma operação alternativa, geralmente retornando um erro ou fazendo algo diferente (em alguns casos até pode lançar uma exceção, mas não costuma ser a melhor opção, mas se forma uma exceção mais específica em alguns casos pode ser interessante, só é mais raro ser o certo).

Só acesse um índice/chave condicionalmente, a não ser que seja 100% garantido que não tem como ser um dado inválido, mas são raros casos assim, como pode ser visto nos códigos e links postados aqui. Esta dica para para qualquer dado não só estes que são índices/chaves, quase todos os bugs ocorrem porque algum dado não está no estado que está esperando e não pode confiar em nada.

O uso de assert(), requires() ou algo semelhante costuma ser uma boa ideia.

Algumas estruturas de dados não lançam erros ou exceções quando a chave não existe, apenas retornam um código de erro que pode ser um nulo. Algumas tem métodos que permitem escolher o que acontece quando tenta acessar uma chave não existente. Cuidado pode parecer certo porque funciona, mas dará resultado ruim.

Tem linguagens que não dão erro, só ferra tudo. C, e C++ em certa medida, são assim.

Se você não está passando uma posição em uma coleção de dados então o erro não acontecerá, então precisa de duas coisas: coleção de dados e posição sendo acessada. A Posição pode ser passada por um operador indexador, muito comum ser colchetes objeto(x), mas outras linguagens podem ter outras notações, JS pode fazer assim objeto.x e ainda é uma posição nessa coleção. Também pode ocorrer em métodos que recebem a posição de uma forma ou de outra, pode ser até um dado que será usado para calcular a posição.

Um teste de mesa manual ou auxiliado pelo IDE (debugger) sempre indicará o que está acontecendo. Você executa passo a passo e analisa o valor do elemento sendo usado e verá que um dele logo no momento que dará o erro está acessando um índice/chave que não existe, por isso é preciso saber todas chaves possíveis ou a faixa do índice possível.

Lembre-se sempre de olhar o dado naquele momento, ele pode não ser o que deseja, pode não conter todos elementos que está esperando, isto pode ser a causa do erro. Se o dado estiver ok então seu algoritmo está pegando um valor que não devia.

Não tem milagre, não tem resposta fácil e rápida, tem que analisar o que está acontecendo. Faça a análise e aprenda programar melhor n o processo. Aprenda se virar por conta própria, você vai precisar.

Este é um erro chato por sempre ocorre em tempo de execução (existem poucas situações que poderia ser evitado em tempo de execução e nem costuma valer o esforço fazer isto).

Não falei, mas já vi erros em que o valor sendo usado era um literal e portanto de total controle do algoritmo sendo escrito ali. Quase sempre o problema não está bem nesse algoritmo, está no dado recebido, provavelmente você esperava receber uma coleção de dados com um número determinado de elementos e por alguma razão não está recebendo isto. Provavelmente o problema está na criação do dado e deve concentrar os esforços em analisá-lo. Você pode melhorar seu algoritmo para lidar com um caso de erro assim, mas quase sempre o resultado melhor fazer o dado vir corretamente já que faz parte do contrato vir assim. Claro, isso pode não ser um bom design, não é robusto, ou para dar robustez complica o código e piora a performance, mas muita gente desenvolve sem pensar nessas coisas (todos que escolhem uma linguagem de tipagem dinâmica). Exemplo.

De uma certa forma pode ser visto como uma variante da divisão por zero. Só ocorre porque está recebendo um valor que não é aceito naquele contexto. Não importa o que faça, a solução sempre está em validar implícita ou explicitamente o dado que será usado como índice/chave antes de usar, tem que ser garantido que ele existe.

Exemplo em C# de código robusto para não deixar acessar um elemento que não existe inadvertidamente.

Exemplos de perguntas que falam deste erro, é quase certo que o seu está coberto em algum.

Vou colocar mais exemplos, tentar usar mais linguagens, outras respostas podem ajudar mais pessoas

domain name system – In Nginx what is the resolver directive mechanically doing to avoid errors and warnings?

Environment: Nginx, Node.js

I’ve read the Nginx Docs on Resolver, I understand it’s used for DNS and I include it in my config.
However I don’t entirely understand what it’s doing or when and why I need it.

In the simplified config below when I turn on the nginx and node.js servers and request pages in the browser everything works as expected and no warnings or errors are thrown. The IP addresses I’m using in resolver are google’s public DNS servers.

http {

    resolver 8.8.8.8 8.8.4.4 [2001:4860:4860::8888] [2001:4860:4860::8844];

    server {

        listen 443 ssl http2;
        listen [::]:443 ssl http2;

        server_name example.com;

        ssl_stapling on;
        ssl_stapling_verify on;
        ssl_trusted_certificate /etc/letsencrypt/live/example.com/chain.pem;

        root /srv/example/views/public;

        ssl_certificate /etc/letsencrypt/live/example.com/fullchain.pem;
        ssl_certificate_key /etc/letsencrypt/live/example.com/privkey.pem;

        location / {
            proxy_pass http://127.0.0.1:8080;
        }

    }

}

However when I remove resolver 8.8.8.8 8.8.4.4 [2001:4860:4860::8888] [2001:4860:4860::8844]; boot the servers and request pages I get a warning in my error.log. At the same time everything works fine in the browser and no error or warning is sent to the client.

2020/12/11 20:04:24 [warn] 1191#1191: no resolver defined to resolve
r3.o.lencr.org while requesting certificate status, responder:
r3.o.lencr.org, certificate:
“/etc/letsencrypt/live/example.com/fullchain.pem”

It’s easy enough to keep the reference to Google’s DNS servers as my resolver value and avoid the warning but I’m not entirely sure what is happening. Because I don’t know what this directive is doing I’m not entirely sure if Google’s DNS servers are the correct choice. I believe I only need resolver if I’m also using the proxy_pass directive but I’m not entirely sure of that.

Question: What is resolver doing and when is it called or not called? I understand it’s performing DNS but I’m not sure when or why.

angular – Chain Dependant Observables in Resolver

I have a resolver that needs to fetch data from two dependant Apis before the page is loaded. The second call is defined by the result of the first one, so I try to chain the two observables and need to return the second one at the end of the resolver.

Before I tried to chain the observables I had:

resolve(route: ActivatedRouteSnapshot, state: RouterStateSnapshot): Observable<MySecondObservable> {
    
    const observable1 = this.myService.getFirstDataSet();
    observable1.subscribe(
         firstDataSet => this.myService.firstDataSet = firstDataSet;
    );

    const observable2 = this.myService.getSecondDataSet(); // this requires data from firstDataSet
    observable2.subscribe(
         secondDataSet => this.myService.secondDataSet = secondDataSet;
    );

    return observable2;
}

This is obvioulsy wrong, when I try to apply some RxJs methods to pipe these observables I get an error in the second observable call saying that the firstDataSet is not defined.
Here is what I got so far:

return observable1.pipe(
    tap( firstDataSet => this.myService.firstDataSet = firstDataSet),
    mergeMap( () => observable2.pipe(
        tap(secondDataSet => this.myService.secondDataSet = secondDataSet            
        ) 
    )
)

At each observable final result I want to store the received data into the service hence the tap(). There is an overwhelming amount of documentation on RxJS, at the point that I found it difficult as a beginner to find what I want.
Any help is appreciated!

typescript – Estou tentando executar o comando npm install para incluir o typescrypt no meu projeto mas aparece a mensagem abaixo, como resolver isso?

npm ERR! code EJSONPARSE
npm ERR! file C:UsersfelipcursosCodeEasyJavaScriptES6eProgramacaoFuncionaltypescriptaula1package.json
npm ERR! JSON.parse Failed to parse json
npm ERR! JSON.parse Unexpected token v in JSON at position 0 while parsing near ‘v12.18.2
npm ERR! JSON.parse ‘
npm ERR! JSON.parse Failed to parse package.json data.
npm ERR! JSON.parse package.json must be actual JSON, not just JavaScript.

python 3.x – Como resolver o seguinte output:Did you mean to set reuse=tf.AUTO_REUSE in VarScope?

estou estudando IA com tensorflow, porém estou enfrenando o seguinte erro:

ValueError: Variable gerador/dense/kernel does not exist, or was not created with tf.get_variable(). Did you mean to set reuse=tf.AUTO_REUSE in VarScope?

Alguém saberia como posso resolver ou ainda a causa do mesmo ?

segue o código:

import numpy as np
import tensorflow as tf
from tensorflow.examples.tutorials.mnist import input_data
import matplotlib.pyplot as plt
tf.reset_default_graph()

mnist = input_data.read_data_sets(r"C:UsersmbeatDesktopEduardocodsEstudosUdemyRedes NeuraisModulo 3mnist_data", one_hot=True)

imagem1 = np.arange(0, 784).reshape(28,28)
imagem2 = np.random.normal(size=784).reshape(28,28)

ruido_ph = tf.placeholder(tf.float32, (None, 100))


def gerador(ruido, reuse=None):
    
    with tf.variable_scope("gerador", reuse=reuse):
        #estrutura: 100 -> 128 -> 128 -> 784
        camada_oculta1 = tf.nn.relu(tf.layers.dense(inputs=ruido, units=128))
        camada_oculta2 = tf.nn.relu(tf.layers.dense(inputs=camada_oculta1, units=128))
        camada_saida = tf.layers.dense(inputs=camada_oculta2, units=784, activation=tf.nn.tanh)
        return camada_saida



with tf.Session() as sess:
    sess.run(tf.global_variables_initializer())

    ruido_teste = np.random.uniform(-1, 1, size=(1,100))
    amostra = sess.run(gerador(ruido_ph, True), feed_dict={ruido_ph:ruido_teste})

print(amostra)